PHOTO-2019-11-17-17-09-59

Qualificação para o Euro’2020
Portugal não falha e vai defender título europeu

Já está. Portugal vai defender o título na fase final do Euro’2020, que se realiza no verão do próximo ano (12 de Junho a 12 de Julho), pela primeira vez na história da competição em 12 cidades de outros tantos países. A qualificação foi garantida no Luxemburgo, na última jornada do grupo, com uma vitória sofrida, mas justa, por 2-0. Bernardo Silva desta vez não marcou, mas foi essencial no desfecho. Bruno Fernandes inaugurou o marcador, enquanto o inevitável Cristiano Ronaldo tranquilizou os portugueses e aumentou para 99 os golos ao serviço da selecção nacional (fechou a fase de qualificação com 11). A 11ª presença consecutiva de Portugal em fases finais aconteceu no dia em que somou a 300ª vitória.

 

Não foi com futebol champanhe ou com a nota artística que se lhe tinha visto há apenas três dias, com a Lituânia, que Portugal cumpriu o objectivo primeiro da qualificação. Foi necessário trocar o traje de gala pelo fato macaco, não só porque a qualidade do Luxemburgo é distinta do anterior adversário, mas também, e principalmente, porque as condições do terreno de jogo a isso obrigavam – um relvado-batatal que condicionou, em muito, as acções de jogadores tão tecnicistas como os nossos, com clara influência na circulação da bola. Talvez também por isso, Fernando Santos – que é já o treinador com mais vitórias da equipa portuguesa – operou três alterações relativamente ao jogo anterior, fazendo entrar Raphael Guerreiro, Danilo e André Silva para os lugares de Mário Rui, Rúben Neves e Gonçalo Paciência.

 

Portugal optou por passes em profundidade para contornar todas estas condicionantes, mas as segundas bolas começaram a ser um problema, por serem invariavelmente ganhas pelo adversário, o que chegou a provocar alguns calafrios ao último terço defensivo português. No entanto, viria a ser um passe longo tão cerebral quanto fantástico de Bernardo Silva que abriu a brecha há tanto procurada, com Bruno Fernandes a aparecer desmarcado nas costas da defesa do Luxemburgo e a rematar forte para o primeiro de Portugal, estavam decorridos 39 minutos.

 

Na segunda parte Portugal entrou melhor, procurando trocar mais a bola, mas a sucessão de passes errados obrigou a equipa a correr ainda mais e a correr também pelo golo que evitasse uma qualquer surpresa. Que aconteceu bem perto do fim (86’), uma jogada que teve uma vez mais o cunho do agitador, cerebral e omnipresente Bernardo Silva, um cruzamento que encontrou o recém-entrado Diogo Jota, que rematou para Cristiano Ronaldo emendar à boca da baliza, o seu 99º e a apenas 10 recordista iraniano Ali Daei. Agora, sim, estava carimbado o passaporte para o Euro’2020, onde Portugal entrará para defender o título conquistado em 2016, em França.

 

Alemanha, Holanda, Áustria, Croácia, Bélgica, Itália, Ucrânia, Polónia, Espanha, Rússia, França, Inglaterra, Turquia, Finlândia, República Checa, Suécia e Portugal são, até ao momento, as 17 selecções apuradas das 24 que disputarão o Euro’2020.