cr7goldenboot_web

Cristiano Ronaldo recebeu terceira Bota de Ouro da carreira
“Quero ser o melhor de sempre”

Como se fosse a primeira vez. Foi este o sentimento de Cristiano Ronaldo quando recebeu das mãos de Florentino Pérez a terceira bota Bota de Ouro da carreira. Depois de 2007/08, (Manchester United) e 2010/11 (Real Madrid), desta vez os 31 golos que apontou na liga espanhola na época passada fizeram dele o goleador-mor dos campeonatos europeus. É certo que também Luis Suárez atingiu a mesma marca e já recebeu também o respectivo troféu, mas o que Cristiano Ronaldo não divide é o título de único jogador a ganhar três Botas de Ouro em dois campeonatos diferentes.

 

O português mostrou-se surpreendido com a grandeza da cerimónia que decorreu num hotel de Madrid e simultaneamente orgulhoso e honrado não só com prémio mas também com as palavras que lhe foram dirigidas por Florentino Pérez. “Há uns meses perdemos Alfredo Di Stéfano, mas hoje podemos afirmar que aqui está o seu digno herdeiro”, garantiu o presidente do Real Madrid, para quem Cristiano Ronaldo, “sem dúvida o melhor jogador do Mundo”, é “um orgulho para o clube, para o futebol e um exemplo para os mais jovens”, voltando à comparação com o recentemente desaparecido Di Stéfano (considerado o melhor jogador de todos os tempos do Real Madrid) para destacar “a insaciável fome de vitórias” de ambos e expressar o desejo de que o português “continue eternamente” no clube madridista.

 

Como que a confirmar as palavras do seu presidente, Cristiano Ronaldo prometeu “continuar a dar o melhor, com golos e assistências nos muitos anos” que ainda vai permanecer no Real Madrid e voltou a dar uma demonstração de toda a sua ambição quando proclamou uma simples frase: “Não quero ser apenas o melhor jogador de Portugal, quero ser o melhor jogador de sempre”. Assim, sem meias-palavras e sim com a mesma convicção e determinação que lhe vemos em campo. “No meu trabalho quero ser sempre melhor e quando acabar a carreira quero ver as estatísticas e ver que estou nesse patamar”, garantiu, considerando-se honrado pela comparação com Di Stéfano. “É um privilégio estar ligado a alguém que é um dos maiores jogadores da história do futebol mundial”.

 

Cristiano Ronaldo, que na plateia teve a sua mãe e o seu filho, agradeceu, ainda, a todos que de uma forma directa ou indirecta contribuíram para esta conquista, principalmente aos seus companheiros de equipa e ao que considera ser o melhor clube do Mundo, que lhe proporciona ganhar tantos troféus individuais.